7/14/2008

overlouca


foto:barathings.wordpress.com
Essa mania de ser autodidata ...
Resolvi tentar enfiar linha na máquina sozinha, lendo o manual(em português, graças a Deus)e agora estou precisando de fisioterapia.
O problema é que a Janome criou um acessoriozinho para passar a linha por dentro da máquina que não veio com ela.
Solução:usar uma agulha de crochê beeem fina e me torcer para enxergar o "furo-do-guia-fio-do-passador-de-linha-inferior". Uma coisinha sutil que fica por baixo da chapa da agulha :(
Agora é só pleitear uma vaga no "cirque du soleil".
Ao menos consegui costurar depois de estragar quilômetros de linha.

7/12/2008

Motivos pra ser vaidosa

Há dezenove anos atrás me senti a mãe mais especial do mundo.
Nasciam meus filhos!
Deus é muito generoso!

Brinquedo novo.


Chegou minha maquininha!
Agora vai dar pra customizar o guarda-roupa inteiro!

7/10/2008

Tristeza

Que triste!
A
Lily se foi...
Entrei no blog e a "ficha demorou a cair".Chocante.

Gostava de visitar seu blog e não podia imaginar o problema que estava enfrentando.Já passei por isso na família.
Todas nós visitamos tantos blogs sem refletir que, por trás de páginas cheias de criatividade e beleza, podem existir tantos dramas particulares.

Por que será que não nos comunicamos tão bem usando os comentários dos blogs?
Deveria fluir como nos grupos de discussão!

Acho que é por que não temos resposta imediata de quem recebe.
Fica parecendo monólogo ou inconveniência como telefonema em hora errada.
E se a caixa ficar lotada de comentários e a pessoa não conseguir responder a todos?
Bem... devo muitos comentários, admito.

Ao menos vou, agora, agradecer a todos que me visitam.
Fico contente ao olhar o contador e perceber que, apesar de não haver comentários, não são poucos.

Fazemos parte de uma comunidade virtual que sabe ser solidária e presente quando necessário.
Basta observar blogs como o "tricô solidário", "pés quentes" e outros.
Ou mesmo lendo as 120 mensagens(até agora) deixadas no blog da Lily , por gente que nunca se encontrou pessoalmente.

Um grande abraço a todas(os).
E muito obrigada.

7/09/2008

Comprinhas da Mega Artesanal.


Algumas coisinhas que comprei na Mega.
Amei a lã para para feltragem.
Amo os produtos da Duna Ateliê.
Um dia ainda aprendo a pintar.
Sorteio da máquina de costura.
Dois dias e 8 máquinas sorteadas! E pra mim ,nada !!
Não tem um ditado que diz: Azar no jogo , sorte no amor?
Tô só esperando...


7/06/2008

Blog louco

Minhas fotos sumiram do blog!
Mistério...
Vou ter que postar todas novamente.
Tem buraco negro no Blogger?

Mega Artesanal 2008.Cheguei.


Mooooorta, mas feliz!

Maratona de dois dias de correria. Muita coisa linda pra ver e aprender e todo mundo que nem "barata tonta".
Queria fuxicar tudo mas não deu.
Então, vamos lá.

Amei:
*A equipe do Projeto Mural Color que organizou a viagem (Adriana, Kátia, Cláudia, um beijo!);
*Os produtos da Duna (amo sempre). Cheguei tarde e já estava quase tudo vendido;
*Lã para feltragem da Prince. Consegui, finalmente;
*A variedade de produtos pra fazer qualquer coisa;
*A atenção e simpatia dos expositores;
*A minha máquina de overlock que vai chegar em breve;
*O stand da Sisalsul.Pena que não dava pra fazer os cursos.
Muita gente e pouco tempo;
*A simpatia do Dotan do programa Ateliê na TV. A minha artesã preferida não pôde ir e saímos a pedir (resultado da leitura de blogs portugueses)autógrafos e fotos pra levar pra ela;

*A fuga em massa para a 25 de março na manhã de sábado, antes da Mega(pensei que só eu tivesse pensado nisso).Essa foi a maior aventura da viagem.
Visitei todas aquelas lojas que só conhecia pela internet:Aslan, Ambar, Puppet, Gaivota ,Sta Terezinha ...
Conhecem a expressão "pinto no lixo"? Pois era eu mesma :)
Aproveito para parabenizar o Surziper pelo fórum nota dez que deu muitas dicas de lojas.
Palmas pras meninas!!
*Correr (desnecessariamente) pra dentro das lojas achando que ia sair confusão entre os camelôs e a polícia ;
*Andar de metrô (até parece que no Rio não tem metrô).
Explico: superei o medo de andar pela cidade de São Paulo com a sensação de atravessando o Triângulo da Bermudas, graças a minha prima Rogéria (foto acima) que não tem medo de nada (ainda não sei se é coragem ou maluquice mesmo).
Ela só me puxa pela braço e diz: Vamos! E eu vou.
Quero voltar para conhecer o bairro da Liberdade.

*Encontrar tantas pessoas de outros Estados. Adooooooro ouvir sotaques diferentes;
*Encontrar produtos para artesanato importados que só vejo na internet;
*A quantidade de marcas. Não dá falar de todas.

Não gostei:
*O ar blasé de alguns paulistanos. Desculpem, mas as pessoas nas ruas ( e no metrô!)andam como se as outras não existissem. Fiquei me sentindo um personagem do filme Matrix.
Alegria, gente!!

*Paulistano continua não gostando de dar informação.
Pior, quando o fazem informam tudo errado.
É pra gente se perder e não voltar mais? Essa era a razão do meu medo da cidade.

Quem quiser visitar minha cidade, ou mesmo o Rio de janeiro, pode vir sem susto porque aqui, se alguém não souber, vai se informar pra ensinar. Talvez até te leve.

*Do frio;

*Do rapaz mega-mal-educado-sem-senso-de-humor-e-despreparado-para-lidar-com-público, que nos fez ficar aguardando na porta, debaixo do sol quente vestindo roupa de lã, na entrada da Mega, e que não sabe que algumas pessoas no Rio (que são afáveis e de alto astral) costumam substituir o "por favor" pelo "será que eu poderia aguardar ali na sombra?" dito em tom carinhoso e solícito. Ridículo!
Eu já estou bem velha para ser corrigida.
Será que é porque eu não falo porrrrrrrrque, meu?

*De umas pessoinhas que não se importam se vão atrasar a saída do ônibus porque querem ficar mais um pouquinho.Ridículas! (Cheguei em casa às 3 da madruga);
*O preço de alguns materiais estavam mais altos que nas lojas (daí a corrida para a 25);
*De não ganhar uma máquina de costura no sorteio da Janome :(
*Não consegui encontrar EVA de 3mm;
*De ter que voltar pra casa. :(

Agradecimentos :)
* Ao Dr Luiz , que (na véspera) me liberou para viajar depois de analisar meus exames e ,finalmente, declarar que eu não sou cardíaca (mas antes me deu um susto), e
*Aos meus filhos que não demoliram a casa na minha ausência.

Fotos no Flickr